600×400

Como abordar a violência doméstica na era digital

Abordar la violencia doméstica en la era digitalUm dos principais assuntos do momento em todo o mundo é a violência de gênero. Atualmente, há vários recursos tecnológicos que podem ajudar significativamente em alguns casos, mas trazer também alguns problemas.

São vários os momentos em que as vítimas  de  violência  doméstica  encontram nas novas tecnologias sua própria salvação. Os smartphones, por exemplo, podem ser usados em situações críticas na hora de pedir ajuda; já as redes sociais são úteis para se conectar com amizades antigas e conseguir mais apoio;  trocar e-mails  pode abrir portas para um trabalho novo e assim, para uma nova vida.

Por outro lado, em mãos erradas, essas mesmas ferramentas podem ser uma fonte de dor de cabeça. Abusadores podem usá-las como um meio de assédio, causando  graves danos às vítimas. Um estudo realizado pela Rede Nacional  para  o Fim da Violência Doméstica (National Network to End Domestic Violence – NNEDV), nos Estados  Unidos, afirma que quase 90% das mulheres que procuram os programas de auxílio às vítimas dão este passo depois que os agressores fazem ameaças e intimidações pelo telefone, por mensagens de texto e por e-mail. “Os agressores cometem seus crimes nos espaços do nosso dia a dia”, diz Cindy  Southworth,  vice-presidenta  executiva da entidade.  “E como muitas de nós estamos com um telefone em uma mão e um laptop ou um tablet na outra, logicamente eles vão usar essas ferramentas para chegar a sua vítima, controlá-la e observar suas ações”, conclui.

VerizonFeb2013bNa instituição, Southworth criou o projeto Safety Net (Rede de Segurança), voltado para o uso da tecnologia contra a violência doméstica. Anualmente, são realizados eventos para capacitar agentes públicos do Estados Unidos e do resto do mundo para que aprendam a tornar a internet um espaço mais seguro e para divulgar ferramentas de prevenção do assédio e do abuso digital. O projeto capacitou mais de 70.000 pessoas, equipando-as com recursos para abordar o assunto.

Em 2014, a organização mundial da Avon, dirigida pela Fundação Avon, doou quase US$ 1 milhão em mais de 50 países, para causas importantes para as mulheres. Hoje, os esforços estão concentrados no financiamento de programas de pesquisa sobre o câncer de mama e para cuidados médicos, com o projeto Cruzada Avon Contra o Câncer de Mama. Outra frente contribui para a redução da violência doméstica e de gênero, com o programa “Levante a Voz Contra a Violência Doméstica”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *