Maria Galindo

María Galindo: líder espiritual


Com o objetivo de construir um conceito melhor de cidadania e de viver de forma mais consciente, essa jovem de 27 anos realiza vários projetos sociais, entre eles aulas de ioga em penitenciárias femininas.

Toda sexta-feira é especial para ela e muito diferente do que costuma ser para outras mulheres. É que a cada sexta a health coach María Galindo dá aulas de ioga às detentas do centro de inserção social Santa Martha Acatitla, no México.

“Sou diretora de um programa chamado Más de Uno, que faz parte da associação Causa en Común A.C. Realizamos projetos de saúde e bem-estar com o governo e com diferentes empresas. Um dos nossos principais objetivos é construir uma cidadania melhor e viver de forma mais consciente”, comenta.

“A ideia de ensinar ioga a detentas apareceu porque acredito que é um grupo de pessoas esquecido pela sociedade, mas que merece uma qualidade de vida melhor. É incrível ver o impacto físico e emocional desta disciplina em pessoas que estão nessa situação. Com elas, aprendi sobre resignação. Também fico inspirada ao ver que elas querem fazer algo mais por si mesmas e buscar uma mudança significativa em sua existência. São mulheres fortes e com vontade de ter uma oportunidade diferente na vida”, explica María, que estudou Finanças e tem 27 anos.

Pelo terceiro ano consecutivo, ela faz um projeto coletivo de ioga em espaços públicos, em parceria com governo nacional do México. Além disso, María participou da coordenação do Dia Internacional de Ioga no país.

Como health coach, María administra oficinas, cursos e aulas particulares para quem busca um estilo de vida saudável, equilibrado e sem complicações. Ela, por exemplo, afirma que tem um humor muito simples e está sempre rindo. “Sou o tipo de pessoa ideal para ouvir a mesma piada 20 vezes”, revela.

Maria Galindo (1)Para María, a beleza se projeta quando há harmonia pessoal e atitude positiva. Ela confessa que fica nervosa e muitas vezes não sabe como reagir aos elogios, sobretudo quando partem de sua mãe. Ela é a maior admiradora de María, devido à sua luta contínua por um país melhor e por sua força na hora de superar desafios.

Seus hobbies preferidos são cozinhar, meditar, correr, praticar moutain bike e viajar para conhecer lugares, pessoas e culturas diferentes. Ela também gosta de ler livros de temáticas espirituais escritos por seu mestre, Dr. Joseph Michael Levry, como Lifting the vail e The code of the masters.

Muitas coisas deixam María Galindo com a emoção à flor da pele, como relembrar seu casamento. A última vez em que chorou foi quando viu o vídeo da cerimônia.

Acho que as circunstâncias não devem definir nossa vida, mas sim nossa atitude. Gostaria de ser lembrada como uma pessoa feliz, que aproveitou a vida e conseguiu fazer a diferença. Cada mulher tem uma missão e uma visão distintas. No entanto, acho que todas nós devemos gerar uma mudança positiva ao fazer nosso trabalho”, conclui.

Twitter: @mariagalindom

Instagram: @mariagalindom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *