Leticia Sabatella

Uma atriz e várias faces


Desde o início de sua carreira como atriz, em 1991, Letícia Sabatella nunca deixou de lado a preocupação com causas importantes do país, como os conflitos agrários, o trabalho escravo e a exploração infantil.

Casada duas vezes e mãe de Clara, de 22 anos, a atriz chega à maturidade profissional com a mesma beleza estética que a tornou um dos rostos mais conhecidos da televisão, mas também chama a atenção para outros tipos de belezas, mais sutis: “O belo é a busca por uma transformação, é acreditar nisso”.

Os traços angelicais e a voz fina inconfundível circulam pela televisão, cinema e teatro há quase 25 anos, mas Letícia Sabatella também é um nome associado aos direitos humanos e à política. A atriz mineira, hoje com 44 anos, carrega no currículo uma longa trajetória de engajamento em temas como a violência nas disputas pela terra no sul do Pará, a vida de indígenas da tribo Krahô, no norte do Tocantins, e o Movimento dos Sem Terra.

Em 2012, as ações de conscientização pública realizadas por Letícia foram fundamentais para a aprovação da PEC do trabalho escravo na Câmara dos Deputados. Ela mobilizou artistas a favor do projeto e chamou a atenção da sociedade para a causa, através de campanhas. O assunto, aliás, é velho conhecido de Letícia: ela uma das fundadoras da ONG Movimento Humanos Direitos, que defende causas como a erradicação do trabalho escravo, a demarcação das terras indígenas e o fim da exploração sexual infantil.

leticia sabatella 4Mas Letícia sempre conseguiu conciliar sua mobilização e interesse político-sociais com a atuação. Sua estreia na televisão, aos 19 anos, já foi com um personagem marcante: a bela Taís, na novela “O Dono do Mundo” (1991). O par romântico com o ator Ângelo Antônio extrapolou a trama e virou casamento. Do relacionamento de 12 anos nasceu a filha Clara, hoje com 22. Desde 2013, ela é casada com o também ator Fernando Alves Pinto. Com ele, a atriz deu vazão a outro de seus interesses: a música. Ao lado do marido, Letícia canta, enquanto Fernando toca trompete, em um projeto musical com ares de cabaret. No repertório, músicas como “Geni e o Zepelim”, de Chico Buarque, além de composições próprias e releituras de tango e jazz.

 

Nos vários períodos em que se ausentou do mundo artístico – seja acompanhando ocupações em acampamentos do MST ou morando no município de Nova Friburgo (RJ), enquanto plantava alimentos para uma cooperativa de orgânicos –, Letícia naturalmente esteve mais focada em outras questões. Mas sempre que volta à vida artística, ela retoma uma rotina mais rígida de cuidados com a beleza. Depois de três anos fora das telinhas, ela foi chamada para viver a personagem Veronica, da novela “Sangue Bom” (2013). Letícia decidiu queimar os quilinhos que ganhou no período com uma dieta rigorosa, que cortou pães massas. A atriz acordava e logo começava os exercícios físicos. “Eles também ajudam a me manter equilibrada ao longo do dia”, explicou em entrevista à revista “Estilo”. Um dos segredos da dieta na época foram os chás de casca de abacaxi, com poderoso efeito diurético. O batom vermelho, que sempre ajudou a valorizar os lábios grossos e longos da atriz, se tornou uma de suas marcas registradas. Os cachos, hidratados em casa, também são inconfundíveis, embora hoje mais curtos do que o cabelão do início de carreira.

Em 2015, a atriz apareceu nas telinhas na minissérie “Amorteamo”, cuja estética, inspirada no expressionismo alemão, foi um dos atrativos para aceitar o projeto. Em entrevista dias antes do lançamento da série, exibindo o mesmo rosto jovem e corpo em forma, ela declarou que se sente mais feliz com seu físico do que há décadas atrás. “Eu acho que estou cada vez melhor”.

Com 13 novelas, seis minisséries e 12 longas metragens na bagagem, um dos mais belos rostos do mundo artístico brasileiro acredita que a beleza não interfere em seu lado ativista. Em depoimento à revista Trip, ela afirmou: “sinceramente não penso nisso na hora de assumir uma postura. É algo que sai da minha essência. Nessas horas acho que essa questão da beleza convencional não ajuda nem atrapalha”. Para Letícia, a beleza está em manifestações mais sutis e mais fortes ao mesmo tempo: “Acho que a beleza está no gesto poético, não nos traços de alguém. O belo é a busca por uma transformação, é acreditar nisso”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *